Um balanço da educação no país em Perspectivas Unicamp 50 Anos

    A educação – básica e superior – é o objeto de duas mesas-redondas dando sequência a um “Balanço das Políticas Sociais no Brasil”, dentro da série Perspectivas Unicamp 50 Anos, que faz parte das comemorações do cinquentenário da Unicamp. Acontecem nesta quinta-feira (28), no Centro de Convenções, as mesas sobre “Educação Básica: a persistência da má qualidade?” e “Ensino Superior: produtivismo e alienação acadêmica”.

     Pela manhã os temas giram em torno da cobertura da educação básica, dos principais problemas causadores da má qualidade do ensino e da recente proposta do governo federal, a “Pátria Educadora”. Na parte da tarde discute-se a cobertura geral e por áreas específicas da educação superior; financiamento e privatização; o ensino e pesquisa, e o ensino sem pesquisa; e a alienação e “produtivismo” na universidade. 

    A primeira mesa será coordenada pelo professor Luiz Carlos de Freitas, da Faculdade de Educação (FE) da Unicamp, tendo a participação dos professores Romualdo Luiz Portela de Oliveira (FE/USP), Antônio Ibañez Ruiz (MEC) e Elizabeth Balbachevsky (FFLCH/USP). A mesa da tarde terá a coordenação do professor Aníbal Eugênio Vercesi (FCM/Unicamp), sendo composta pelos professores Thomaz Wood Jr. (FGV), Carlos Henrique de Brito Cruz (IFGW/Unicamp e Fapesp), Valdemar Sguissardi (Unimep), Luiz Carlos Wrobel (Brunel University, Grã-Bretanha) e Jorge Olímpio Bento (Universidade do Porto, Portugal).

    A série Perspectivas Unicamp 50 Anos tem a coordenação do professor Wilson Cano (IE/Unicamp), sendo que este “Balanço das Políticas Sociais no Brasil” exigiu a programação de seis mesas sob a responsabilidade de Paulo Eduardo de Andrade Baltar (também do IE). As duas primeiras foram realizadas no início de abril, com um “Balanço Macroeconômico e Social: demografia e seguridade social”, e sobre “Crises da Urbanização: disseminação espacial e setorial do caos urbano”. Outras duas mesas tratarão de distribuição e transferência de renda e de saúde e saneamento. Os organizadores ressaltam a importância destas reflexões em um momento de crise e efervescência política no Brasil.

     

     FONTE: Assessoria UNICAMP